PERGUNTA: Há diferenças entre um pomar formado com plantas enxertadas e outro com plantas originadas de sementes?
RESPOSTA: Sim. No pomar formado com plantas enxertadas, o crescimento é uniforme e as plantas iniciam a produção quase na mesma época e, normalmente, mais cedo, isto é, mais precocemente. Todas as plantas produzem quase a mesma quantidade de castanha. Por sua vez, pomares formados com plantas originadas de sementes tornam-se desuniformes, tanto em relação às características da planta quanto â produção de castanha e pedúnculo.

PERGUNTA: Geneticamente, qual a diferença entre reprodução sexuada e assexuada, em cajueiro?
RESPOSTA: A reprodução sexuada é feita através de castanhas ou sementes. Por isso, cada planta originada dessas sementes são diferentes geneticamente. Isto é, as plantas diferem entre si para uma ou mais característica, mesmo quando sua procedência é de uma única planta, ao passo que a reprodução assexuada é utilizada para se obter um conjunto de plantas geneticamente idênticas.

PERGUNTA: A polinização é um fator limitante na produção do cajueiro?
RESPOSTA: Ainda não existem provas de que a falta de agentes polinizadores resulte em perdas substanciais na produção. Entretanto, é certo que as abelhas (Apis mellifera) são os principais polinizadores, e alguns produtores consideram positivo os efeitos do consórcio caju versus apicultura.

PERGUNTA: Quais as principais características do cajueiro comum e do cajueiro-anão-precoce?
RESPOSTA: 0 cajueiro comum tem porte alto (8 m a 15 m de altura e 10 m a 20 m de diâmetro de copa) e início de produção a partir do terceiro ano, em ambiente favorável. Em condições de estresse, a planta pode florescer até no primeiro ano. 0 peso da castanha varia de 3 g a 33 g e o do pedúnculo, de 20 g a 500 g, a capacidade produtiva individual é maior (existem plantas com mais de 100 kg de castanha por safra); estabilidade de produção a partir do décimo segundo ano; vida útil média de aproximadamente 35 anos; e ciclo produtivo anual em torno de cinco meses.0 cajueiro-anão-precoce tem porte baixo (até 6 m de altura e 6 m a 9 m de diâmetro de copa); início da produção entre seis e 18 meses de idade; peso da castanha de 3 g a 15 g e do pedúnculo de 20 g a 160 g; menor capacidade produtiva individual (ate 65 kg de castanha por safra); ciclo produtivo de seis a sete meses em região seca, podendo atingir dez meses sob irrigação evida útil aproximada de 35 anos.

PERGUNTA: Quais as principais diferenças entre os clones de cajueiro comum e os clones de cajueiro-anão-precoce?
RESPOSTA: Os clones, de cajueiro comum têm maior altura e copa mais aberta, ao passo que os clones de cajueiro-anão-precoce são de porte baixo e copa reduzida.No cajueiro-anão-precoce, o florescimento ocorre mais cedo, às vezes até no primeiro ano. o peso da castanha e do pedúnculo é maior no cajueiro comum.0 cajueiro comum mostra ainda maior capacidade produtiva individual. Entretanto, o cajueiro-anão-precoce, por ser menos variável, mostra maior produtividade.

PERGUNTA: O cajueiro-anão-precoce produz mais do que o tipo comum?
RESPOSTA: Na realidade, num plantio comercial, é comum encontrar plantas de cajueiro comum que são muito produtivas e que, individualmente, até superam a produção de uma planta do tipo anão. Entretanto, a ocorrência dessas plantas produtivas é, geralmente, pouco freqüente, o que contribui para a baixa produtividade (produção por hectare) do plantio. Os clones de cajueiro-anão-precoce, recomendados para plantio, já passaram por um processo de intensa seleção. Por isso, o plantio com esses clones tem maior produtividade.

PERGUNTA: A vida econômica de um pomar comercial de cajueiro-anão-precoce, é menor do que a do comum?
RESPOSTA: Não. Embora não exista pomar comercial de cajueiro-anão-precoce com a mesma idade do cajueiro comum para se comparar, é esperado que ambos tenham o mesmo período de vida útil econômica.

PERGUNTA: Qual a idade média de produção de um cajueiro?
RESPOSTA: A vida útil econômica de um pomar comercial está em torno de 35 anos, embora sejam encontradas plantas com mais de 60 anos ainda em produção.

PERGUNTA: Qual o objetivo do melhoramento genético do cajueiro?
RESPOSTA: 0 objetivo básico do melhoramento genético do cajueiro é a seleção de plantas mais aptas para satisfazer melhor a necessidade dos setores produtivo, industrial e dos consumidores, isto é, selecionar plantas mais produtivas e que apresentem características da castanha e do pedúnculo com qualidade que satisfaçam as necessidades de mercado.

PERGUNTA: 0 que é uma variedade de cajueiro?
RESPOSTA: É muito freqüente tratar como variedades de cajueiro o tipo comum ou gigante e o tipo cajueiro-anão ou ainda o caju-pêra, caju-banana, caju-maçã, caju-manteiga etc. Botanicamente, não existem variedades definidas.0 cajueiro-anão é um grupo de plantas com característica bem definida e diferenciada do tipo comum ou gigante. Por sua vez, a referência às outras variedades tem sido feita com base em características do pedúnculo (falso fruto). Essas características podem ser mantidas por propagação assexuada, ou seja, quando da obtenção de clones.No caso do plantio por sementes, não é assegurada a manutenção da(s) característica(s) desejada(s), daí a razão de não existirem variedades.

PERGUNTA: 0 que é um clone e qual sua importância?
RESPOSTA: Qualquer parte de tecido retirada de uma planta, que de origem a outra, vai gerar um clone. Essa nova planta é chamada de clone porque tem o mesmo conteúdo genético da planta que lhe deu origem.Na cajucultura, considera-se clone de cajueiro o conjunto de plantas originadas de uma única planta considerada especial em relação a uma série de características. 0 trabalho de pesquisa na área de melhoramento genético visa identificar as plantas que tenham essas características especiais para, em seguida, multiplicá-las assexuadamente, obtendo-se uma população de plantas com a mesma capacidade genética.Os clones assim obtidos dentro do programa de melhoramento passam, em seguida, por um processo de avaliação até sua recomendação para o plantio em nível comercial.

PERGUNTA: Como se obtém um clone?
RESPOSTA: Existem vários métodos para a obtenção de um clone de cajueiro, que vão desde a simples seleção individual de plantas com características desejáveis, ou seja, identificação de plantas pela seleção e multiplicação assexuada para obtenção do clone, até métodos mais sofisticados, como o emprego da biotecnologia.

PERGUNTA: Qual o tempo necessário para a obtenção de um clone?
RESPOSTA: 0 tempo de obtenção do clone até sua recomendação para o plantio comercial depende do método de melhoramento utilizado e do tipo de avaliação. Em geral, esse processo leva de cinco a oito anos.Quais os clones de cajueiro-anão-precoce atualmente disponíveis no mercado?Os clones de cajueiro recomendados pela pesquisa da Embrapa Agroindústria Tropical, da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Ceará, em conjunto com empresas da iniciativa privada, são os seguintes:CCP 06,09,76 e 1001,EpaceCL49,Epace MQ 10,Embrapa 50 e 51, Copan-BL 221, 246, 265 e 295.

PERGUNTA: Um mesmo clone é recomendável para o plantio comercial em várias regiões?
RESPOSTA: Nem sempre. Cada local tem suas características próprias de clima e solo. Como o desenvolvimento das plantas é resultante de sua interação com o ambiente, normalmente o comportamento de um clone pode não ser o mesmo nos diferentes locais. 0 correto é testar no local diversas alternativas de materiais para plantio antes de definir que clone plantar.

PERGUNTA: É recomendável o plantio de apenas um clone num grande pomar comercial?
RESPOSTA: Não. Grandes áreas plantadas com o mesmo clone tornam-se muito homogêneas, ou seja, todas as plantas terão as mesmas características favoráveis e, também, as desfavoráveis. Todas as plantas serão iguais na resposta aos fatores adversos do ambiente e essa uniformidade aumenta a vulnerabilidade do plantio, principalmente ao ataque de pragas e doenças. 0 ideal, portanto, é um conjunto de clones distribuídos em talhões.

PERGUNTA: Quais as características desejáveis de um clone para produção de frutos para mesa?
RESPOSTA: As plantas devem ter porte baixo que facilite a colheita manual e produzir pedúnculos com as seguintes características: coloração variando de vermelho avermelho-laranja, formato piriforme ou maçã, peso entre 80 g e 120 g, textura consistente, sabor doce (Brix mínimo de 10), baixoteor de tanino (máximo de 0,4) e baixa acidez (0,3 - 0,4).

PERGUNTA: Quais as características desejáveis de um clone para produção de amêndoas?
RESPOSTA: Boa capacidade produtiva da planta (1.000 kg - 1500 kg/ha/ ano em regime de sequeiro), peso da castanha acima de 7g, relação amêndoa/castanha acima de 25%, caractensticas industriais: cotilédones (bandas) fortemente aderidos, facilidade de despeliculagem e baixo percentual de perdas provocadas por microorganismos (até 8%).

PERGUNTA: 0 que é um híbrido? No caso do cajueiro, qual sua importância?
RESPOSTA: A denominação de híbrido é dada a uma semente ou planta resultante do cruzamento entre pais diferentes: uma planta funciona como mãe (recebe o pólen) e a outra como pai (doa o pólen). 0 híbrido reúne, num mesmo indivíduo, as características favoráveis encontradas em dois indivíduos separados.No caso do cajueiro, algumas vezes e importante reunir na mesma planta as características de maior produtividade e maior tamanho de castanha do cajueiro comum com as características de precocidade e porte baixo do tipo anão.Para obtenção da planta híbrida, é necessário fazer a polinização manual entre as plantas cujas características se quer juntar, em seguida, a planta originada desse cruzamento é clonada e as caractensticas favoráveis são mantidas, através da enxertia (multiplicação assexuada).

PERGUNTA: Qual a principal vantagem da utilização de clones originados de plantas híbridas para a formação de um pomar de cajueiro?
RESPOSTA: Para se obter um clone, é necessário identificar uma planta que reúna as características que atendam aos objetivos do melhoramento. Por exemplo, se o melhorista tem por objetivo selecionar cajueiro com castanhas de 10 g e pedúnculo de 120 g, ele terá dois caminhos: procurar nos plantios já estabelecidos a planta que reúna essas características ou juntá-las, através de cruzamento, se estiverem em plantas separadas.0 objetivo do esforço dispendido na obtenção do clone é chegar a um plantio uniforme, em que as caractensticas desejáveis não apresentem grandes variações de uma planta para outra.

PERGUNTA: 0 vigor do híbrido é explorado no melhoramento do cajueiro?
RESPOSTA: Sim. No desenvolvimento do programa de melhoramento, são feitos vários cruzamentos entre plantas diferentes, denominadas parentais, visando identificar entre as plantas descendentes (plantas filhas hibridas) aquelas que tenham herdado dos pais as características favoráveis. Essas plantas são selecionaclas e clonadas, aproveitando-se as vantagens da propagação vegetativa na fixação dos caracteres, para que, posteriormente, sejam avaliados os novos clones.

PERGUNTA: Ocorre cruzamento entre clones de cajueiro? Qual a conseqüência?
RESPOSTA: Sim. Do ponto de vista de mercado, o produto (castanha ou pedúnculo) colhido em pomar formado por mais de um clone não terá problemas em suas características comerciais. No entanto, se a castanha for utilizada para a formação de novos pomares, o produto comercial resultante será muito afetado tanto na produção como nas qualidades industriais.

PERGUNTA: Por que não é recomendável o plantio a partir de sementes colhidas em plantio de clones?
RESPOSTA: Porque haverá muita variação entre plantas nesse novo plantio. As sementes colhidas num plantio de clones; são originadas de cruzamentos naturais entre as plantas do referido clone, o que corresponde, geneticamente falando, a uma autofecundação. Isso acarreta perda de vigor das plantas resultantes do novo plantio e alterações nas outras características, reduzindo a qualidade do produto obtido, que nada mais é do que o resultado da manifestação de um fenômeno chamado depressão endogâmica.É importante fazer esse esclarecimento, porque alguns produtores, ao adquirirem mudas de determinado clone para a formação de pomares comerciais, podem ser tentados a utilizar as sementes produzidas no próprio pomar para ampliá-lo, em vez de adquirirem novas mudas.

PERGUNTA: 0 que acontece quando uma planta é autopolinizada ou cruzada com plantas de um mesmo clone?
RESPOSTA: Normalmente as plantas descendentes (plantas filhas) são raquiticas, apresentam menor produção, menor peso de fruto e pedúnculo e, com alta freqüência, aparecem plantas com defeitos genéticos (plantas albinas, sementes que não germinam ecrescimento tortuoso do caule). Esses efeitos são chamados de depressão por endogamia, semelhante à consangüinidade entre animais.

PERGUNTA: 0 efeito negativo da endogamia ocorre em todos os clones?
RESPOSTA: Sim, mas com intensidades diferentes. Em algums clones, os efeitos da endogamia são tão drásticos que se manifestam desde 2 germinação da semente, com redução do poder germinativo em cerca de 40%, até redução na produção, com perdas já determinadas em 48%. Também é comum a ocorrência de plantas com anomalias, em alguns casos com alto índice de mortalidade, principalmente provocada pela ausência de clorofila.

PERGUNTA: 0 que acontece quando uma planta é polinizada por pólen de outra planta com constituição genética diferente?
RESPOSTA: Ocorre o fenômeno da heterose ou vigor híbrido, que é o inverso da depressão por endogamia. Ou seja, as plantas resultantes desses cruzamentos podem apresentar características superiores às das plantas parentais. Normalmente são mais vigorosas e ocasionalmente mais produtivas. Eventualmente, podem aparecer tipos de plantas com características que não se manifestavam nos pais.

PERGUNTA: Não se deve mais plantar o cajueiro comum?
RESPOSTA: Considerando as modernas técnicas da fruticultura, que prioriza o plantio de clones de porte baixo e precoce, o cajueiro comum não se enquadraria, atualmente, nesse contexto. Entretanto, em razão de suas qualidades (capacidade produtiva individual e peso da castanha), o melhoramento genético vem efetuando a seleção de clones; desse tipo, que apresentem porte médio e adaptabilidade a ambientes específicos.

PERGUNTA: Os tipos de cajueiro fora do padrão comercial devem 215 ser eliminados do pomar?
RESPOSTA: Sim, em se tratando de um plantio comercial. Entretanto, as plantas que possuem alguma característica diferente precisam ser mantidas em área denominada Banco de Germoplasma. Nesses bancos, de interesse somente da pesquisa, é reunida a maior quantidade possível de variação genética existente na espécie, que será utilizada em trabalho de melhoramento. Por isso, é recomendável que os produtores, sempre que encontrarem algum tipo de planta com qualquer característica diferente, notifiquem uma instituição de pesquisa.

PERGUNTA: Qual o modo de reprodução do cajueiro? Existe sistema de auto-incompatibilidade?
RESPOSTA: 0 cajueiro é uma espécie alógama, ou seja, reproduz-se preferencialmente por cruzamento. Nesse caso, a poli nização ocorre com pólen de plantas diferentes. A inflorescência é uma panícula terminal, onde encontram-se dois tipos de flores: hermafroditas ou perfeitas e masculinas ou estaminadas.Como ainda não foram detectados sistemas de auto-incompatibilidade, a polinização pode também ocorrer dentro de uma mesma flor, entre flores diferentes na mesma planta ou entre plantas de um mesmo clone. Entretanto, a conformação anatômica das flores não favorece a polinização com pólen da mesma flor.